Win Forms: Teclas de atalho globais – C#

Fala aí galera. Tudo certo?!

Já faz um certo tempo que não posto aqui no blog, e também um tempinho que eu não contribuo no MSDN.

Então, receba esse post!!!

Já ouviu falar das teclas de atalho globais, ou Global Hot Keys? Se não segue uma explicação curta:

Teclas de atalho globais são combinações de teclas, sempre usando um modificador (Ctrl ou/e Alt ou/e Shift), que executam ações na sua aplicação, mesmo ela estando minimizada ou oculta! Por isso o Globais.

Baseado em .net – Set global hotkeys using C# – Stack Overflow, eu fiz alguns pequenos ajustes, para conseguir o código final abaixo. Uma classe que permite registrar ou remover Global Hot Keys para sua aplicação:

/*
O código foi obtido na thread abaixo, e modificado por mim, Herbert Lausmann:
http://stackoverflow.com/questions/2450373/set-global-hotkeys-using-c-sharp
Créditos ao criador, AaronLS.
*/
using System;
using System.Collections.Generic;
using System.Linq;
using System.Runtime.InteropServices;
using System.Text;
using System.Threading.Tasks;

namespace System.Windows.Forms
{
    public sealed class KeyboardHotKeys : IDisposable
    {
        #region Class Code
        // Registers a hot key with Windows.
        [DllImport("user32.dll")]
        private static extern bool RegisterHotKey(IntPtr hWnd, int id, uint fsModifiers, uint vk);
        // Unregisters the hot key with Windows.
        [DllImport("user32.dll")]
        private static extern bool UnregisterHotKey(IntPtr hWnd, int id);

        /// <summary>
        /// Represents the window that is used internally to get the messages.
        /// </summary>
        private class Window : NativeWindow, IDisposable
        {
            private static int WM_HOTKEY = 0x0312;

            public Window()
            {
                // create the handle for the window.
                this.CreateHandle(new CreateParams());
            }

            /// <summary>
            /// Overridden to get the notifications.
            /// </summary>
            /// <param name="m"></param>
            protected override void WndProc(ref Message m)
            {
                base.WndProc(ref m);

                // check if we got a hot key pressed.
                if (m.Msg == WM_HOTKEY)
                {
                    // get the keys.
                    Keys key = (Keys)(((int)m.LParam >> 16) & 0xFFFF);
                    ModifierKeys modifier = (ModifierKeys)((int)m.LParam & 0xFFFF);

                    // invoke the event to notify the parent.
                    if (KeyPressed != null)
                        KeyPressed(this, new KeyPressedEventArgs(modifier, key));
                }
            }

            public event EventHandler<KeyPressedEventArgs> KeyPressed;

            #region IDisposable Members

            public void Dispose()
            {
                this.DestroyHandle();
            }

            #endregion
        }

        private Window _window = new Window();
        private int _currentId;

        public KeyboardHotKeys()
        {
            // register the event of the inner native window.
            _window.KeyPressed += delegate(object sender, KeyPressedEventArgs args)
            {
                if (KeyPressed != null)
                    KeyPressed(this, args);
            };
        }

        /// <summary>
        /// Registers a hot key in the system.
        /// </summary>
        /// <param name="modifier">The modifiers that are associated with the hot key.</param>
        /// <param name="key">The key itself that is associated with the hot key.</param>
        public void RegisterHotKey(ModifierKeys modifier, Keys key)
        {
            // increment the counter.
            _currentId = _currentId + 1;

            // register the hot key.
            if (!RegisterHotKey(_window.Handle, _currentId, (uint)modifier, (uint)key))
                throw new InvalidOperationException("Couldn’t register the hot key.");
        }

        /// <summary>
        /// A hot key has been pressed.
        /// </summary>
        public event EventHandler<KeyPressedEventArgs> KeyPressed;

        #region IDisposable Members

        public void Dispose()
        {
            // unregister all the registered hot keys.
            for (int i = _currentId; i > 0; i--)
            {
                UnregisterHotKey(_window.Handle, i);
            }

            // dispose the inner native window.
            _window.Dispose();
        }

        #endregion

        #region Others

        /// <summary>
        /// Event Args for the event that is fired after the hot key has been pressed.
        /// </summary>
        public class KeyPressedEventArgs : EventArgs
        {
            private ModifierKeys _modifier;
            private Keys _key;

            internal KeyPressedEventArgs(ModifierKeys modifier, Keys key)
            {
                _modifier = modifier;
                _key = key;
            }

            public ModifierKeys Modifier
            {
                get { return _modifier; }
            }

            public Keys Key
            {
                get { return _key; }
            }
        }

        /// <summary>
        /// The enumeration of possible modifiers.
        /// </summary>
        [Flags]
        public enum ModifierKeys : uint
        {
            Alt = 1,
            Control = 2,
            Shift = 4,
            Win = 8
        }
        #endregion
        #endregion
        #region Singleton
        private static KeyboardHotKeys _Current;
        public static KeyboardHotKeys Current
        {
            get
            {
                if (_Current == null)
                    _Current = new KeyboardHotKeys();
                return _Current;
            }
        }
        #endregion
    }
}

Dessa forma, você poderá criar teclas de atalho globais para sua aplicação, de uma maneira extremamente simples. Exemplo abaixo:

using System;
using System.Collections.Generic;
using System.ComponentModel;
using System.Data;
using System.Drawing;
using System.Linq;
using System.Text;
using System.Threading.Tasks;
using System.Windows.Forms;

namespace Global_Hot_Keys
{
    public partial class Form1 : Form
    {
        public Form1()
        {
            InitializeComponent();
            KeyboardHotKeys.Current.KeyPressed += Current_KeyPressed;
            KeyboardHotKeys.Current.RegisterHotKey(KeyboardHotKeys.ModifierKeys.Control | KeyboardHotKeys.ModifierKeys.Alt, Keys.T);
        }

        void Current_KeyPressed(object sender, KeyboardHotKeys.KeyPressedEventArgs e)
        {
            if (e.Modifier == (KeyboardHotKeys.ModifierKeys.Control | KeyboardHotKeys.ModifierKeys.Alt))
            {
                if (e.Key == Keys.T)
                {
                    this.WindowState = FormWindowState.Normal;
                    MessageBox.Show("Você pressionou o atalho Ctrl + Alt + T !!!!!!!!!!!!!!!!!!");
                }
            }
        }
    }
}

Espero que possa ser útil à alguém!

Anúncios

.Net Portable: API de conversão de moedas com WebService do Yahoo – +100 Moedas – C#

Pode parecer tarefa fácil, mas não é. O fato é que, encontrar um bom WebService, que atenda às suas necessidades, que seja gratuito e simples de usar é algo um pouco complicado. Por isso, escrevo este post!

Recentemente eu descobri que o Yahoo possui um WebService de financias, e que o mesmo disponibiliza uma tabela para conversão de moedas, com as principais moedas do mundo. Para obter os dados do WebService é necessário, apenas, fazer um Request e pegar o Response do link abaixo:

http://finance.yahoo.com/webservice/v1/symbols/allcurrencies/quote

Ele vai retornar um arquivo XML contendo os valores das moedas, e isso de forma atualizada.

Tendo isso em mãos, já é possível criar um ótima API para conversão de valores monetários. Mas eu fui além. Baseado na página web abaixo, eu criei um pequeno banco de dados que reúne as principais informações de cada moeda, como por exemplo: País, Código, Simbolo, Imagem da Bandeira do País, e o Nome da moeda.

Currency Symbols – All existing currency symbols

E eu fui ainda mais além!! A API foi projetada para funcionar offline também, pois é possível salvar a tabela de conversão e carrega-la quando não quiser baixar o da internet.

E para fechar com chave de gold: A API é multiplataforma. É uma Portable Class Library, que pode ser referenciada em programas desktop, aplicativos Windows Phone e Windows Store, Silverlight, e um outro que eu esqueci.

Ah, e sem falar que as classes foram projetadas para funcionarem em harmonia com o XAML. De fato, você pode fazer Data Binding e fazer conversões monetárias sem usar praticamente nenhum código. Um exemplo (WPF):

Yahoo Currency Demo

E graças à forma como foi projetado, a DLL garante conversão em tempo real! Isso porque a tabela de conversão é baixada e armazenada de uma única vez na memória. E o banco de dados que possue as informações de cada moeda foi incluído dentro da API.

Algo muito útil, em sistemas financeiros e demais da categoria…

Bom, segue o projeto completo da API, do aplicativo demo, e da ferramenta que eu criei para montar o base de dados:

HL.Yahoo.Currency

Espero que possa ser útil à vocês!

Grande abraço.

Kernel: Obtendo o caminho do executável de um Processo – C#

Pode parecer tarefa fácil, mas não é. O fato é que, obter o caminho do executável de um processo pode acabar tendo um destino trágico se você não estiver com sorte.

A maneira tradicional de fazer isso é utilizando a propriedade Process.MainModule.FileName.

Mas há um grande porém! Se o seu processo está executando em x64 (Processo 64 bits) e o outro processo, que você deseja obter o caminho, está executando em x86 (Processo 32 bits) você receberá a belíssima exceção abaixo:

Cross Plat Exception

A situação inversa também resulta neste exceção.

Esse é um problema cada vez mais fácil de ocorrer devido à maior adoção de sistemas operacionais x64.

Mas, contudo, todavia, começando com a versão Vista, o Windows possui uma função no Kernel que nos permite contornar este problema. Ela se chama QueryFullProcessImageName. Essa rotina não é afetada pela situação descrita acima.

Dessa forma, com algumas linhas de código, podemos implementar um método de extensão para a classe Process que irá facilitar as coisas:

using System;
using System.Collections.Generic;
using System.Linq;
using System.Runtime.InteropServices;
using System.Text;
using System.Threading.Tasks;

namespace System.Diagnostics
{
    public static class ProcessExtensions
    {
        /// <summary>
        /// Returns the process executable full path
        /// </summary>
        /// <param name="Process">The process</param>
        /// <returns>A string containing the process executable path</returns>
        public static string GetProcessPath(this Process Process)
        {
            int capacity = 1024;
            StringBuilder sb = new StringBuilder(capacity);

            IntPtr handle = OpenProcess(ProcessAccessFlags.QueryLimitedInformation, false, Process.Id);

            QueryFullProcessImageName(handle, 0, sb, ref capacity);

            string fullPath = sb.ToString(0, capacity);
            CloseHandle(handle);
            return fullPath;
        }

        [DllImport("kernel32.dll", SetLastError = true)]
        [return: MarshalAs(UnmanagedType.Bool)]
        private static extern bool CloseHandle(IntPtr hObject);

        [DllImport("kernel32.dll", SetLastError = true)]
        private static extern bool QueryFullProcessImageName([In]IntPtr hProcess, [In]int dwFlags, [Out]StringBuilder lpExeName, ref int lpdwSize);

        [DllImport("kernel32.dll")]
        private static extern IntPtr OpenProcess(
             ProcessAccessFlags processAccess,
             bool bInheritHandle,
             int processId
        );

        [Flags]
        private enum ProcessAccessFlags : uint
        {
            All = 0x001F0FFF,
            Terminate = 0x00000001,
            CreateThread = 0x00000002,
            VirtualMemoryOperation = 0x00000008,
            VirtualMemoryRead = 0x00000010,
            VirtualMemoryWrite = 0x00000020,
            DuplicateHandle = 0x00000040,
            CreateProcess = 0x000000080,
            SetQuota = 0x00000100,
            SetInformation = 0x00000200,
            QueryInformation = 0x00000400,
            QueryLimitedInformation = 0x00001000,
            Synchronize = 0x00100000
        }
    }
}

Após implementar o código acima, você poderá fazer coisas assim no seu código:

                foreach (Process pr in System.IO.Kernel.GetProcessesLockingFile(dialog.FileName))
                {
                    DataRow r = dt.NewRow();
                    r[0] = pr.ProcessName;
                    r[1] = pr.Id;
                    r[2] = pr.GetProcessPath(); // Uso da função
                    dt.Rows.Add(r);
                }

Como diria um amigo meu: Nice and flexible.

Kernel: Obtendo os processos que estão usando um arquivo – C#

Pode parecer tarefa fácil, mas não é. O fato é que, obter o processo ou os processos que estão usando um arquivo/pasta é uma tarefa com uma pitada de complexidade em C++ e realmente complexa em C#/VB devido às diversas importações de funções necessárias.

No entanto, existe um utilitário gratuito que lhe permite descobrir essas coisas de forma super simples. Falo do Handle:

O Handle é um Console Application que faz todo o trabalho árduo; Você apenas especifica o caminho para um arquivo ou pasta e ele lhe retorna os processos que o estão usando.

Sendo assim, vou mostrar como usar este utilitário. Primeiro, obviamente faça o Download dele no link acima. Descompacte o arquivo zip e copie o arquivo Handle.exe para a pasta da sua aplicação. Então o poderá colocar em funcionamento o código abaixo:

using System;
using System.Collections.Generic;
using System.ComponentModel;
using System.Text;
using System.Diagnostics;
using System.Text.RegularExpressions;
using System.Runtime.InteropServices;

namespace System.IO
{
    public static class Kernel
    {
        /// <summary>
        /// Returns all the processes locking a file/folder
        /// </summary>
        /// <param name="path">The full path to file/folder to inspect</param>
        /// <returns>A IEnumerable containing all the processes locking the file/folder</returns>
        public static IEnumerable<Process> GetProcessesLockingFile(string path)
        {
            string currentDirectory = System.IO.Path.GetDirectoryName(new Uri(
                System.Reflection.Assembly.GetExecutingAssembly().CodeBase).LocalPath);
            string handlePath = currentDirectory + "\\handle.exe";
            ProcessStartInfo handleStarting = new ProcessStartInfo(handlePath);
            handleStarting.UseShellExecute = false;
            handleStarting.RedirectStandardOutput = true;
            handleStarting.Arguments = "\"" + path + "\" /accepteula";
            handleStarting.Verb = "runas";
            handleStarting.CreateNoWindow = true;
            Process handleProcess = Process.Start(handleStarting);
            handleProcess.WaitForExit();

            string outputTool = handleProcess.StandardOutput.ReadToEnd();

            string matchPattern = @"(?<=\s+pid:\s+)\b(\d+)\b(?=\s+)";
            foreach (Match match in Regex.Matches(outputTool, matchPattern))
            {
                Process pr = null;
                try
                {
                    pr = Process.GetProcessById(int.Parse(match.Value));
                }
                catch { }
                if (pr != null)
                    yield return pr;
            }
            yield break;
        }
    }
}

Esse código, basicamente, executa o utilitário e faz a leitura do resultado convertendo-o em um Enumerable de processos que estão usando o arquivo/pasta.

Mas, devo salientar algo muito importante:

O fato de um programa abrir um arquivo não quer dizer que ele esteja usando este arquivo. Se você abrir uma música no Windows Media Player ele irá carregar o conteúdo do arquivo para a memória, fechar este arquivo e então reproduzir. No fim das contas o código não irá detectar nenhum programa usando este arquivo de música, pois, realmente, nenhum está utilizando.

O mesmo pode acontecer com qualquer arquivo, pasta e software…

E, de brinde, vou disponibilizar para download um projeto de um programa pequeno para inspecionar arquivos e pastas para saber se estão sendo usados:

File Locker.zip

That’s all folks!

Fonte: c# – How do I find out which process is locking a file using .NET? – Stack Overflow

WPF: Trabalhando com MDI no Windows Presentation Foundation

Olá pessoal,

Neste post irei apresentar algo interessante para a plataforma WPF. Trata-se de uma API, open-source, que permite a implementação de interfaces MDI, fáceis de usar no Windows Forms, mas que não estão disponíveis no Windows Presentation Foundation.

Essa libraria possui dois temas: Aero (Windows 7) e Luna (Windows XP).

Aero luna

Essa API está disponível de forma gratuita e open-source no Codeplex, através do link abaixo:

WPF Multiple Document Interface (MDI) – Home

Aproveitem!

Windows Desktop: Arquitetura para Plugins – C#

Olá pessoal!

Neste humilde post, irei apresentar uma Arquitetura Plugin para ser usada no .Net Framework.

Mas o que são Plugins? Várias vezes nos deparamos com essa expressão. Plugin vem do inglês e é a junção das palavras Plug in, que podem ser traduzidas como Conectar ou Ligar. A expressão plugin se refere justamente ao fato de ser algo que pode se conectar a um Programa. Um plugin é algo que pode adicionar funcionalidades a um programa, sem alterar o código do mesmo, pois o programa já possui o suporte à isso.

Grandes softwares do mercado possuem suporte à plugins. Vou citar o Adobe Photoshop. Quer adicionar um efeito novo à biblioteca? Baixe um plugin e coloque-o na pasta de extensões. Ele milagrosamente (só que não) irá incorporar o plugin à interface quando você iniciá-lo.

Resumindo, um plugin é um arquivo (Uma dll, um script, ou outra coisa) que quando adicionado à pasta da sua aplicação, poderá adicionar funcionalidades e/ou alterar a interface. Isso é o que ele faz!

No caso deste post, estarei mostrando como criar um Plugin em forma de um Assembly .Net. Assim você poderá programa-lo na sua linguagem preferida com todo o conforto.

Já tendo a aplicação que você deseja adicionar suporte à plugins, primeiramente você precisa criar uma Interface que irá definir o esqueleto desse Plugin. No nosso exemplo, faça assim:

    /// <summary>
    /// Descreve um plugin na sua forma rudimentar.
    /// </summary>
    public interface IPlugin
    {
        string Name { get; }
        string Author { get; }
        string Caption { get; }
        void Execute(ref System.Windows.Forms.Panel src);
    }

Tendo a interface pronta, você irá precisar de uma classe que fará o escaneamento da pasta da sua aplicação à procura de plugins e que carregue eles na memória e os deixe prontos para serem usados. Segue a mesma:

    public class PluginManager
    {
        #region Arquitetura Singleton

        private static PluginManager _Instance;
        public static PluginManager Current
        {
            get
            {
                if(_Instance == null)
                {
                    _Instance = new PluginManager();
                }
                return _Instance;
            }
        }
        #endregion
        private PluginManager()
        {
            _Plugins = new List<IPlugin>();
            Load();
        }
        private readonly string Folder = System.IO.Path.GetDirectoryName(Assembly.GetExecutingAssembly().Location) + @"\Plugins";

        private List<IPlugin> _Plugins;
        public ICollection<IPlugin> Plugins
        {
            get
            {
                return _Plugins;
            }
        }

        private void Load()
        {
            if (!System.IO.Directory.Exists(Folder)) return;
            string[] pluginsPaths = System.IO.Directory.GetFiles(Folder, "*.dll");
            foreach (string path in pluginsPaths)
            {
                Assembly pluginAssembly = Assembly.LoadFile(path);
                LoadPlugin(pluginAssembly);
            }
        }

        private void LoadPlugin(Assembly Plugin)
        {
            Type[] typesInAssembly = Plugin.GetTypes();
            Type IPlugin = typeof(IPlugin);
            foreach (Type type in typesInAssembly)
            {
                if (!IPlugin.IsAssignableFrom(type)) continue;
                IPlugin Extension = (IPlugin)Plugin.CreateInstance(type.FullName);                  
                if (Extension != null) _Plugins.Add(Extension);
            }
            typesInAssembly = null;
        }

    }

A classe PluginManager possui arquitetura Singleton, ou seja, uma única instância será criada para toda a aplicação. Isso garante que os plugins não sejam carregados múltiplas vezes acarretando erros.

O código acima, basicamente, obtém todos os arquivos dll da pasta pré-definida onde irão ficar as extensões. Após isso, ele carrega cada dll na memória dinamicamente usando Reflexão. Logo depois, no método LoadPlugin, a dll recem carregada é escaneada à procura de tipos que implementem a interface IPlugin. Cada tipo que implemente essa interface é um Plugin capaz. Quando o código encontra um plugin, ele cria uma instância desse plugin e adiciona à lista de plugins. Assim seu aplicativo estará pronto para usufruir dos plugins existentes na pasta da sua aplicação.

É óbvio que isso tudo não servirá pra nada. Digo, você precisa agora adaptar a sua aplicação para usufruir dos Plugins. Obviamente, você pode modificar a interface IPlugin para adicionar características que você deseja que seus plugins tenham. Isso tudo é apenas um exemplo básico de como a coisa toda funciona.

Agora, que você já implementou sua aplicação para fazer uso dos plugins carregados (eu sei que você não fez isso, mas para melhor compreensão, vou disponibilizar um projeto completo para estudo) , está na hora de criar um plugin.

Na nossa arquitetura, um plugin será uma Class Library. A versão do .Net Framework usado pelo plugin deve ser o mesmo da aplicação. Na sua Class Library, você deve adicionar uma referência para a sua aplicação. Feito isso, crie uma classe e herde ela da interface IPlugin. Pronto, você criou um plugin! Implemente os códigos para as funcionalidades que você deseja. Ao colocar o plugin a pasta da sua aplicação, ele será identificado e carregado.

Um exemplo de plugin:

    public class Install : Main_Application.Plugins.IPlugin
    {
        public string Name
        {
            get { return "WebBrowser Plugin"; }
        }

        public string Author
        {
            get { return "Herbert Lausmann"; }
        }

        public string Caption
        {
            get { return "Navegar"; }
        }

        public void Execute(ref System.Windows.Forms.Panel src)
        {
            src.Controls.Clear();
            System.Windows.Forms.WebBrowser web = new System.Windows.Forms.WebBrowser();
            web.Name = "Web";
            src.Tag = "Web";
            src.Controls.Add(web);
            web.Dock = System.Windows.Forms.DockStyle.Fill;
            web.Navigate("https://herbertdotlausmann.wordpress.com/");
        }
    }

Note que eu citei pasta da aplicação, mas no caso do nosso exemplo, os plugins ficarão armazenados dentro de uma pasta Plugins que ficará no diretório da aplicação em si.

Abaixo, o link para download do projeto completo do Exemplo totalmente funcional:

Plugin Architecture.zip

Bom proveito!!

PS: Meu projeto Intelli Clip implementa suporte à plugins da mesma maneira ^-^

Win32: Carregando um aplicativo externo dentro de um Panel – C# Win Forms

Fala aí galera!

Bom, hoje quero falar de algo um tanto interessante, e bem útil em casos bem raros. Trata-se de carregar a janela de uma outra aplicação dentro da sua aplicação, como se a janela externa fosse parte do seu aplicativo, quando na verdade está sendo executada em um processo completamente separado.

Abaixo, um print do que falo:

Application Hoster

No caso acima, eu carreguei o Paint dentro do Panel da janela do meu aplicativo.

Eu já utilizei isso de forma prática no passado. Foi uma vez que eu criei um aplicativo para baixar charges animadas do site animatunes.com. As charges eram baixadas pelo aplicativo (no formato swf, flash) apenas usando a url da página. O aplicativo incluía um player de vídeo para rodar as charges. No entanto, naquela época, o componente SWF Player COM consumia muito processamento, e as vezes até travava. Então eu separei a aplicação em duas, sendo a primeira a aplicação em si,  e a outra apenas o componente SWF Player. Quando em execução, o projeto carregava o player do processo separado dentro de um panel, como se tudo fosse parte de um executável só. Caso o player travasse, era só reiniciar o processo do player e pronto. Foi a maneira que eu consegui para manter o projeto estável.

Mais ou menos o mesmo conceito é usado no Google Chrome, onde cada guia é executada em um processo separado. Se uma guia travar, você pode finaliza-la sem afetar em nada a aplicação.

A técnica acima, combinada com IPC (Inter Process Communication – Comunicação Inter Processual) lhe dá o poder de criar aplicações multi processos.

Não vou abordar o IPC neste post, mas pretendo faze-lo no futuro.

Segue o link para baixar o projeto do Application Hoster:

Application Hoster.zip – 60KB

O código está comentando para melhor entendimento.

Até a próxima.